7 de janeiro de 2013
Sempre será difícil fazê-lo, mas a verdade é que muitas vezes na vida temos que dar um determinado adeus a algo ou a alguém, e que muitas vezes é difícil de dizer essa palavra, pois adeus, é uma palavra tão pequena e com um significado tão grande. Aliás, uma só palavra, com diversos significados. Podemos dizer adeus, significando até a volta, como poderemos dizê-lo como um "nunca mais". Aliás, sempre será prematuro dizer um adeus com essa idéia, pois algo definitivo, somente poderá ser um adeus, a Deus atribuído, pois sempre poderemos dar adeus à nossa idéia de adeus.

Em verdade, passamos toda nossa vida nos despedindo de alguma coisa, e sempre cada um desses adeuses significando uma despedida, ou uma espécie de despedida.

A cada fase de nossa vida, um adeus será dado, e que sempre poderá provocar lembranças que irão afetar nosso futuro.

Ao nascermos, damos adeus à segurança e ao calor do ventre materno, para enfrentar a vida aqui fora, que tantas e tão variadas surpresas nos reserva. Algumas agradáveis, outras nem tanto.

Depois, sempre estaremos nos despedindo de algo ou de alguém. De um brinquedo que se quebra, de algum animal de estimação que se vai, da turma do Grupo Escolar, daqueles amigos, companheiros das primeiras farras, de nosso primeiro amor (vocês já repararam que dificilmente o primeiro amor vai ser aquele definitivo? Mas sempre marcará nossa vida.

Durante a adolescência será um infindável numero de "adeuses", tantas modificações ocorrem. Seja mudança de residência, seja de escola. Separamo-nos de um grande numero de amigos, e de amores também (e como nos apaixonamos com facilidade, e nos "desapaixonamos" também...). Nessa época, as despedidas são mais fáceis, pois nunca iremos considerar um até nunca, mas sempre veremos a possibilidade de um reencontro. Na maioria das vezes, é um adeus com aquele gostinho de "Ciao Bello"...

Precisamos estar sempre preparados tanto para dizer, como para receber esse adeus, e entender-lhe o significado. Um adeus deverá ser algo bem pensado. Devemos bem refletir sobre mudanças que vamos ter na vida.

Principalmente se for um adeus a um sonho acalentado, e que de repente não mais será possível executar. Pode ser um sonho de amor, ou um sonho de vida. Temos que saber bem se esse adeus será aquele "até breve", ou o "até nunca". Se esse sonho, ou se esse amor é totalmente inexequível, ou se poderemos deixá-lo apenas congelado. E sempre será muito arriscado dizer que "nunca mais quero te ver", ou que "acabou... o sonho virou pesadelo".

Quantos projetos acabamos abandonando por causa desse pensar errôneo, e que depois percebemos que os poderíamos ter executado. E quantas vezes dizemos um adeus a alguém, que poderia ter permanecido. Quantas amizades descartamos em nosso caminhar, e que acabam sendo lembradas com saudade mais tarde, pois aquele "adeus" não tinha sentido.

Depois, quando encontramos um certo alguém e nos casamos, deveremos dizer um sonoro adeus à vida de solteiro, e às liberdades de que desfrutávamos, pois será mais uma mudança em nossa vida, e que também está sujeita a um novo e mais difícil adeus. E sempre será complicado dizer esse adeus.

É exatamente por essa motivo que devemos cultivar a "arte de dizer adeus", e saber definir bem quando poderá ser uma despedida definitiva, ou aquele até breve...

Apenas de um adeus ninguém se livra... É esse mesmo...

Por circunstâncias diversas, dou um até breve, desejando a todos UM LINDO DIA.

Autor Desconhecido

Post em homenagem aos meus dois amigos que agradeço a Deus por tê-los conhecido, Adriana Candiotto e Gustavo Augusto. Mesmo que a nossa caminhada lado a lado tenha chegado ao fim, nos veremos em breve, ou melhor dizendo, sempre. Obrigada FACEBOOK \o/





Curte

Arquivo do blog

Mais Lidos

Tecnologia do Blogger.